Obrigado: Resolvendo discrepâncias no CAS Registry Number de uma indústria química brasileira

Explore como o CAS SciFinder Discovery Platform ajudou uma empresa brasileira a superar desafios regulatórios resolvendo discrepâncias no CAS Registry Number, garantindo a conformidade e permitindo operações químicas eficientes.

Transformação digital na indústria química: passos rumo a um futuro sustentável

Jennifer Sexton , Director/CAS Custom Services

Digital data wave and network abstract background

A química fornece muitos dos elementos essenciais da atualidade e, embora seja fundamental para impulsionar a pesquisa, a inovação e o crescimento econômico, representa uma importante contribuição para as mudanças climáticas.

As substâncias perigosas, as emissões de gases com efeito de estufa e a falta de uma gestão correta dos resíduos têm origem em práticas químicas inadequadas, que exigem uma reforma completa para atingir os novos objetivos de sustentabilidade.

Nos últimos anos, houve um interesse crescente em tecnologias digitais e em ferramentas cognitivas poderosas, capazes de acelerar soluções sustentáveis. Desde uma melhor gestão de dados até uma melhor utilização de recursos, a transformação digital pode impulsionar as indústrias a repensar e otimizar seus processos químicos, reduzindo o impacto ambiental. No entanto, as previsões para a próxima década dão às empresas que realizam a transformação digital apenas 30% de chance de sucesso.

Uma estratégia de digitalização imprudente pode transformar rapidamente um investimento inteligente em uma decepção. Em contrapartida, uma compreensão profunda das tecnologias digitais, do leque de possibilidades e dos parceiros para uma implementação estratégica pode revelar novas oportunidades e ajudar as empresas a alcançarem seus objetivos de sustentabilidade, aumentando simultânea e significativamente sua competitividade no mercado.

Digitalização e gestão do conhecimento: construindo uma base sólida de dados

Desde a fase inicial da P&D até o monitoramento pós-comercialização, a indústria química gera e recolhe continuamente quantidades consideráveis de dados. No entanto, a falta de harmonização interna e entre as organizações leva à perda de informações valiosas e ao desperdício de recursos. Estima-se que esses dados não estruturados ou “dados obscuros”, representam cerca de 55% de todos os dados armazenados, retardando significativamente a pesquisa e a inovação no campo.

A digitalização pode estruturar os dados e o fluxo de trabalho de seu laboratório e também reduzir sua pegada ambiental. Como a indústria do papel a representa mais de 40% da madeira comercializada mundialmente, um sistema digital de gestão do conhecimento pode prevenir a perda de dados e minimizar o desmatamento.

Há uma década, o artigo da Nature, “Scientists losing data at a rapid rate”, relatou que cerca de 80% dos dados científicos ficam indisponíveis após 20 anos. Felizmente, a ascensão das soluções digitais oferece aos pesquisadores oportunidades de tirar o pó de seus dados científicos legados e transformá-los em um terreno novo e fértil para a inovação baseada em dados.

Baixe esse estudo de caso para saber como uma grande organização de tecnologia da saúde tornou seus dados internos de P&D mais acessíveis.

Identificando oportunidades de inovação: otimizando processos químicos com soluções de IA

Atualmente, mais de 80% das empresas químicas afirmam que a sustentabilidade se tornou tão importante quanto o crescimento das receitas. Apesar das modificações práticas significativas para incluir opções mais sustentáveis, muitos fluxos de trabalho químicos ainda dependem de solventes e combustíveis fósseis que geram resíduos perigosos e gases de efeito de estufa. Substituir cada processo por alternativas mais ecológicas é um caminho longo que exige tempo e investimento financeiro substanciais. Graças ao aumento da digitalização na química, as ferramentas cognitivas oferecem hoje um atalho para a sustentabilidade e a inovação com um maior retorno do investimento (ROI).

A pesquisa e a análise com inteligência artificial (IA) identificam com eficácia informações relevantes para seu escopo e objetivos. Ao examinar diretamente seu banco de dados interno, os modelos preditivos podem gerar recomendações precisas para melhores formulações químicas, fluxos de trabalho de fabricação sustentáveis e maior produtividade. Em 2022, dois terços das empresas afirmaram o desenvolvimento ativo de estratégias de IA para atingir seus objetivos de sustentabilidade.

À medida que aumentam os projetos baseados em IA, as organizações precisam de bases sólidas de dados e de uma estratégia de treinamento robusta para garantir a precisão da IA. A falta de diversidade de dados ou dados de baixa qualidade podem causar variações de desempenho e desvios de modelo, impactando suas previsões de IA e levando a investimentos ruins. Com conjuntos de dados enriquecidos e conjuntos de treinamento selecionados, você pode validar seus modelos preditivos de IA e aprendizado de máquina para identificar seu próximo avanço.

Baixe esse estudo de caso para saber como dados de treinamento de alta qualidade e aprendizado de máquina apoiam a nova química.

A transição para uma química sustentável: atendendo às demandas regulatórias em constante mudança

Da formulação à gestão de resíduos, o ciclo de vida de um produto químico está sujeito a diretrizes rigorosas, muitas vezes não uniformizadas entre estados e países. Além do amplo cenário regulatório, as diretrizes são frequentemente submetidas a revisões e atualizações para se alinharem às mudanças no conhecimento científico, aos avanços tecnológicos ou à evolução das expectativas da sociedade.

Por sua natureza ser complexa e estar em evolução, o cumprimento das exigências regulamentares orientadas para a sustentabilidade representa um grande desafio para as organizações químicas. Para navegar em estruturas dispersas e em constante mudança, muitas empresas químicas investem em departamentos dedicados a assuntos regulatórios, apesar do ônus financeiro. Processos internos bem implementados podem mitigar significativamente custos e riscos, além de garantir a conformidade com as mudanças nas políticas ambientais.

A conformidade regulatória normalmente envolve documentação extensa, incluindo registros químicos abrangentes, processos de fabricação detalhados e fichas de dados de segurança atualizadas. Reunir esses requisitos envolve navegar em vastos conjuntos de dados de diversos departamentos, com diferentes metodologias. Exigente e demorado, este processo desvia o foco da pesquisa.

Estabelecer uma trilha de auditoria abrangente e precisa, com sistemas padronizados de gerenciamento de dados pode ajudar. Ao capturar e rastrear alterações feitas na documentação química por um banco de dados facilmente pesquisável, torna possível manter o conhecimento estruturado, acessível e atualizado à medida que os padrões regulatórios e as políticas ambientais evoluem.

Transformação digital na indústria química: o alicerce de um futuro verde

A crescente conscientização sobre a sustentabilidade está levando a indústria química a repensar seus processos, procurar alternativas ecológicas para minimizar seu impacto ambiental e conservar recursos.

Por meio de sistemas de gestão de dados otimizados, modelos de IA validados e algoritmos multifuncionais, a transformação digital é um processo de mudança de negócios que proporciona às organizações químicas oportunidades significativas para adotarem práticas inovadoras e sustentáveis em suas operações diárias.

 

O simpósio do CAS explora a convergência entre a biologia e a química em terapias emergentes

Big data concept

Recentemente, o CAS organizou um simpósio intitulado "Terapias emergentes na intersecção entre a Biologia e a Química". Realizado durante o ACS Fall 2023 no Moscone Center de São Francisco, no âmbito da Divisão Técnica do Programa Multidisciplinar da ACS (MPPG), o evento forneceu uma plataforma valiosa para troca de conhecimento e discussões esclarecedoras.

Dr. Gilles Georges, Diretor Científico do CAS, abriu o simpósio descrevendo a missão e apresentando análises de dados e os talentos excepcionais do CAS. Destacou a ampla cobertura do conteúdo científico, as conexões e a tecnologia exclusiva que posicionam o CAS como um hub de compartilhamento de conhecimento. Ele apresentou o processo pelo qual nossos cientistas especializados extraem insights ao fazer conexões inéditas entre conjuntos de dados diferentes.

Explorando o cenário em evolução da imuno-oncologia: uma análise baseada em dados de conceitos emergentes e alvos terapêuticos

Dra. Sabina Scott, uma cientista de informações do CAS, compartilhou a análise de tendências das publicações sobre imuno-oncologia com base no CAS Content Collection™. Recentemente, houve um aumento no interesse em pesquisas e publicações sobre imunoterapias, mas como selecionar o que realmente importa? Para detectar conceitos emergentes, usamos uma combinação de tecnologia de processamento de linguagem natural (NLP) e inteligência humana para avaliar cada documento e verificar conteúdo semelhante pertencente a um conjunto mais amplo de respostas recuperadas. Muitos desses conceitos emergentes estão nas áreas de biomarcadores imunológicos-oncológicos, em tipos de proteínas alvo, tipos de terapia e mecanismos biológicos.

Dra. Sabina Scott
Slides da Dra. Sabina Scott apresentados no ACS Fall 2023

Respostas imunológicas e memória ao SARS-CoV-2 e à vacinação da COVID-19: Lições para futuras vacinas

Do La Jolla Institute for Immunology, a apresentação do Dr. Shane Crotty foi o centro das atenções, oferecendo uma exploração profunda das últimas descobertas sobre a imunidade à COVID-19 e o desenvolvimento de vacinas. Ele compartilhou suas descobertas de pesquisa sobre como as células T agudas e de memória, os anticorpos e as células B de memória respondem às infecções pelo SARS-CoV-2 e às vacinas. Em seguida, discutiu os resultados ao analisar diversos compartimentos da memória imunológica circulante para o SARS-CoV-2 de várias centenas de casos de COVID-19 ao longo de 8 meses, incluindo células B de memória, anticorpos, células T CD4+ e células T CD8+. Outra conquista valiosa foram suas descobertas ao avaliar a memória imunológica humoral e celular de quatro vacinas contra a COVID-19. Sua sessão proporcionou uma perspectiva atual sobre o desafio global, ao introduzir o conceito de centros germinativos e ressaltar seu papel fundamental na geração de imunidade após a introdução da vacina. Esta perspectiva esclareceu os intricados mecanismos da resposta imune, que gerou forte repercussão do público, dada a preocupação mundial em torno da pandemia.

Dr. Crotty
Slides do Dr. Crotty apresentados no ACS Fall 2023

Conjugados anticorpo-fármaco: a crescente classe de medicamentos para terapia dirigida

A Dra. Yacid Rodriguez, representando o CAS, fez um mergulho no potencial de fusão da biologia e da química com conjugados anticorpo-fármaco (ADCs). Conjugados anticorpo-fármaco (ADCs) são uma classe de produtos biofarmacêuticos em rápido crescimento para tratar doenças de forma altamente dirigida. São compostos por um anticorpo monoclonal conectado a um medicamento de pequena molécula com um ligante estável. Os ADCs são usados principalmente no tratamento do câncer e visam antígenos específicos para matar células cancerígenas sem danificar os tecidos saudáveis.

A equipe de pesquisa utilizou dados do CAS Content Collection para fornecer uma visão do cenário e delinear tendências e desafios no avanço da pesquisa em relação aos ADCs. As publicações científicas foram identificadas e analisadas em relação a fatores como tempo, localização geográfica, tecnologias de ligantes, bem como seleção de carga útil e métodos de carregamento. Os pipelines de desenvolvimento de ADC, junto com suas aplicações clínicas nas terapias de doenças, também foram examinados. Compreender o conhecimento atual do campo ajudará a orientar o refinamento e o desenvolvimento de futuras tecnologias de ADC bem-sucedidas.

Dra. Yacid Rodriguez
Slides da Dra. Rodriguez apresentados no ACS Fall 2023

Exossomos: nanopartículas lipídicas da natureza, uma estrela em ascensão na administração de medicamentos e diagnósticos

O Dr. Andy Chen, um cientista de informações do CAS, aportou insights sobre o domínio impactante dos exossomos em aplicações terapêuticas e diagnósticas. Os exossomos são um subgrupo de vesículas extracelulares nanométricas envolvidas por uma membrana de bicamada lipídica e secretadas pela maioria das células eucarióticas. Com propriedades específicas: estabilidade inata, baixa imunogenicidade, biocompatibilidade e boa capacidade de penetração na biomembrana, permitem que funcionem como nanocarreadores naturais superiores para entrega eficiente de medicamentos.

Dr. Chen compartilho os insights desenvolvidos sobre os dados do CAS Content Collection e forneceu uma visão panorâmica do estado atual e das tendências no avanço das pesquisas sobre a aplicação de exossomos em terapias e diagnósticos ao longo do tempo, localização geográfica, composição, carregamento de carga e pipelines de desenvolvimento. Ele espera que o seu trabalho seja útil para compreender o conhecimento atual no campo das aplicações médicas de exossomos para resolver os desafios restantes no cumprimento de seu potencial. Para saber mais sobre o cenário emergente dos exossomos, explore o CAS Insights Report, que revela as oportunidades e desafios à frente.

Dr. Andy Chen
Slides do Dr. Chen apresentados no ACS Fall 2023

Conjugados de anticorpos oligonucleotídeos: Desenvolvimento de AOC 1001 para o tratamento da distrofia miotônica

Dr. Son Lam, o Diretor de Química da Avidity Biosciences, compartilhou um candidato a medicamento inovador - um conjugado de anticorpo oligonucleotídeo (AOC 1001) direcionado à Distrofia Miotônica Tipo 1 (DM1), oferecendo um vislumbre do futuro da intervenção médica. Ele detalhou como usaram anticorpos para a entrega dirigida do medicamento oligonucleotídico, garantindo especificidade e estabilidade.

Existem mais de 40.000 pacientes com DM1 nos EUA, mas nenhum medicamento aprovado para a doença. O AOC 1001 foi projetado para atingir o mRNA da proteína quinase da miotonina tóxica (DMPK) subjacente com uma molécula de siRNA. Estudos pré-clínicos mostraram que este medicamento incorpora boa segurança e tolerabilidade, entrega dirigida ao músculo, redução excepcional do mRNA da DMPK e impacto nos mecanismos da doença. Atualmente, o AOC 1001 está nas Fase ½ de desenvolvimento. Dr. Lam também apresentou dois outros medicamentos conjugados de anticorpos oligonucleotideos, o AOC 1044 e o AOC 1020, que visam a Distrofia Muscular de Duchenne (DMD) e a Distrofia Muscular Facioescapulohumeral (FSHD), respectivamente.

Dr. Son Lam,
Dr. Son Lam

Formulações de nanopartículas lipídicas PEGuiladas: perspectiva de segurança e eficiência imunológicas

A apresentação da Dra. Qiongqiong Angela Zhou sobre nanopartículas lipídicas PEGuiladas revelou as vantagens na administração de medicamentos, além de trazer destaque a uma área que merece mais atenção. Ela enfatizou a importância de se compreender como o polietilenoglicol (PEG) desencadeia respostas imunológicas e suas implicações em potencial para o desenvolvimento futuro de medicamentos. Angela apresentou uma visão geral baseada na análise de dados do CAS Content Collection sobre a imunogenicidade da LNP PEGuilada e em questões gerais de segurança. Com base na revisão de literatura, ela também fez um resumo sobre como vários parâmetros estruturais dos PEG-lipídios afetam as respostas imunes e atividades das LNPs em relação à eficiência na administração de medicamentos. A apresentação da Dra. Zhou é uma mensagem para a comunidade científica, um apelo para mais esforços de pesquisa na compreensão da imunidade ao PEG. Para saber mais sobre nanopartículas lipídicas PEGuiladas e preocupações com sua imunogenicidade, explore o Resumo executivo do CAS e nosso artigo de artigo revisado por pares mais detalhado na Bioconjugate Chemistry.

Dra. Qiongqiong Angela Zho
 

Um olhar para o futuro

O simpósio promoveu discussões significativas, permitindo que os participantes interagissem com os especialistas e tivessem acesso a avanços de ponta. Ficou destacado o papel crucial da união entre a biologia e a química para criar soluções inovadoras para os crescentes desafios da medicina.

Buscas e análises de anterioridade para estratégias de PI científica

3D illustration Technology Abstract background,Futuristic digital Landscape data analysis wave .background for business, Science and technology

O nível dos investimentos em pesquisa e desenvolvimento cresceu tremendamente, e as expectativas são de que as despesas globais atinjam US$ 2,47 quatrilhões somente em 2022. É fundamental ter uma estratégia de propriedade intelectual robusta para proteger o retorno sobre o investimento em novas inovações. É essencial compreender a relevante atividade de patenteamento e realizar uma análise de anterioridade antes de investir em determinada área. Suponha que as divulgações tenham sido feitas antes da data de depósito da patente de sua inovação. Nesse caso, o pedido de patente será rejeitado, por isso é fundamental identificar a anterioridade relevante no início do processo de P&D para determinar a patenteabilidade futura.

Assim, as organizações poderão desenvolver estratégias para diferenciar a inovação durante as fases de desenvolvimento e elaboração de patentes e evitar perdas com gastos em P&D.

Buscas incompletas podem levar a erros dispendiosos para a estratégia de PI, dado o montante significativo investido na pesquisa pré-comercialização e no desenvolvimento de novas invenções. Dentre as consequências da análise incompleta da anterioridade estão a rejeição de pedidos de patente, violação de patente ou invalidação de patentes existentes. Por estas razões, é crucial compreender como conduzir uma análise eficaz e completa da anterioridade.

Onde encontrar a anterioridade?

O local mais comum para iniciar uma busca de anterioridade é em patentes existentes e pedidos de patente. Pedidos de patentes rejeitados, pendentes e abandonados também podem ser considerados anterioridade se divulgarem a sua inovação – completa ou parcialmente. Além da documentação de patentes, é possível encontrar a anterioridade em literatura não relacionada a patentes, como publicações revisadas por pares, dissertações, apresentações em conferências e outras divulgações semelhantes.

A digitalização de materiais como livros, ilustrações, objetos, gravações analógicas e fotos aumentou o volume de materiais passíveis de pesquisa para encontrar a anterioridade. Ao mesmo tempo, o volume de publicações científicas cresce exponencialmente, levando a um aumento na quantidade de informação necessária a ser revista para uma análise completa da anterioridade. Além disso, a inovação científica moderna frequentemente ocorre na intersecção entre diversas disciplinas. Por estas razões, navegar por uma análise abrangente da anterioridade é demorado e complexo.

O CAS STNext® permite uma análise abrangente da anterioridade, pois fornece aos pesquisadores um acesso integrado à coleção mais atual e completa de conteúdo sobre patentes e não patentes, científico e técnico divulgado globalmente.

O CAS combina mais de 100 coleções de dados diversas, inclusive o conteúdo de química líder do CAS Content CollectionTM — uma coleção abrangente de bancos de dados e fontes selecionadas que contém literatura sobre patentes e não patentes. É uma das poucas fontes de divulgações de Markush de patentes globais pesquisáveis, contendo mais de 1,2 milhão de estruturas Markush, cobertas por patentes desde 1988 até o momento e com atualização diária.

Os profissionais de PI acessam esses conjuntos de dados ricos e confiáveis pelo CAS STNext, que oferece uma interface avançada, com poderosos e precisos recursos de busca. Ao adicionar o CAS STNext a seu conjunto de ferramentas, você poderá avaliar minuciosamente os riscos e pontos em comum com a anterioridade e orientar decisões mais inteligentes e baseadas em dados.

Explore as funcionalidades do CAS STNext.

Como identificar fontes de busca apropriadas para análise da anterioridade

Os pesquisadores de IP têm várias opções de fontes ao planejar uma estratégia de busca de anterioridade e é fundamental e escolher os recursos certos. Se você procura uma visão geral ampla do cenário de patentes, os mecanismos de pesquisa e as interfaces dos escritórios de patentes são locais úteis para começar. No entanto, estas fontes poderiam ter funcionalidades e cobertura mais abrangentes. Muitas ferramentas de pesquisa de código aberto precisam de algoritmos mais personalizados para navegar por informações científicas complexas, como fórmulas químicas e processos biológicos. Outro grande obstáculo dos mecanismos de busca de código aberto é que, em muitos casos, eles não conseguem extrair informações de documentos como PDFs baseados em imagens. Além disso, muitos mecanismos de busca de código aberto não incluem a amplitude de informações necessárias para capturar documentos relevantes. Com isso, as buscas por anterioridade deixam lacunas.

Para fechar tais lacunas, a análise de PI depende de múltiplas fontes. Os inovadores das indústrias científicas recorrem a plataformas de pesquisa confiáveis, como o CAS STNext, para dar suporte a uma revisão eficiente e abrangente da literatura e da informação científica existente. Além de permitir a pesquisa em diversas fontes, o CAS STNext utiliza tecnologia de ponta e curadoria humana especializada para apoiar buscas precisas e identificar documentos que geralmente são difíceis de encontrar, mesmo para pesquisadores experientes em PI. O CAS STNext também oferece um “recurso de pesquisa de índice” e inteligência artificial que permitem aos pesquisadores identificarem rapidamente as informações relevantes sobre a tecnologia de seu interesse.

Confira esse webinar para saber como o CAS STNext usa inteligência artificial para impulsionar a análise de anterioridade.

Definindo o escopo da busca por anterioridade

Ao elaborar uma busca por anterioridade, é fundamental considerar a recência e a cobertura das fontes. Os pesquisadores devem considerar os requisitos legais das buscas e compreender os detalhes de quais informações são cobertas (ou não) em fontes individuais.

É crucial compreender os detalhes das datas de publicação, calendário de atualização de conteúdo, cobertura do país etc., das fontes para garantir que a busca cumpra os requisitos legais da parte interessada solicitante.

Revise o escopo da busca periodicamente para garantir que permaneça relevante e atualizado. Se a estratégia do produto mudar (por exemplo, expandir para novos mercados globais), é vital saber o escopo da busca original para determinar se as conclusões continuam válidas para os novos requisitos. Isso ajuda a identificar potenciais lacunas na busca e garantir que as conclusões sejam confiáveis.

Confira o artigo, que explica a importância de definir um âmbito mais amplo em uma busca por anterioridade.

Como formular uma consulta adequada de anterioridade

Quando se trata de formular a melhor consulta de anterioridade, é essencial definir com clareza as características técnicas da invenção. Uma compreensão clara das características técnicas permite determinar os termos relevantes de busca (inclusive sinônimos) e as fontes da busca, para reduzir as chances de perder qualquer anterioridade relevante.

Alguns pontos a serem considerados ao identificar palavras-chave adequadas são variações ortográficas, palavras-chave em idiomas estrangeiros e termos históricos para diferentes classificações de patentes.

O campo da inovação configura a consulta. Por exemplo, consultar uma estrutura química para invenções cuja base é a química é uma estratégia eficaz para conduzir uma análise eficiente da anterioridade. Em contraste, uma consulta de informações numéricas, como faixas de pH ou de temperatura, é um método eficaz para a engenharia. Uma consulta precisa economizará tempo durante a revisão pós-busca e ajudará a identificar a anterioridade que métodos menos sofisticados poderiam deixar passar.

Como saber quando a análise minuciosa da anterioridade está concluída?

Decidir quando é uma boa hora para parar as buscas é uma decisão importante e desafiadora. Uma das melhores maneiras de determinar quando é hora de parar é pelo princípio da convergência. Isso pode ser feito fazendo buscas de diferentes maneiras, tais como usar muitas palavras-chave, citações, avaliações de concorrentes ou informações químicas e verificar se a consulta retorna os mesmos resultados. Quando os resultados convergirem, é seguro dizer que a pesquisa está completa.

Aplicar este princípio é essencial para maximizar o valor da estratégia de busca. Fazer buscas sem convergência pode significar que palavras-chave ou termos de busca importantes ficaram de fora, levando a uma análise da anterioridade que perde partes cruciais da anterioridade. Ao mesmo tempo, pesquisar muito profundamente pode ser demorado e caro, sem gerar resultados adicionais significativos.

Leia esse artigo, que explica os principais pontos a serem considerados quando for realizar uma busca por anterioridade.

Consultar profissionais com experiência em seu setor e em análise de anterioridade economizará tempo e dinheiro

Buscas abrangentes de anterioridade muitas vezes são realizadas tardiamente ficam incompletas, deixando a organização e seu pipeline de P&D em risco. O custo de perder anterioridade relevante é alto; em 2020, os tribunais dos Estados Unidos concederam US$ 4,67 bilhões em indenizações por violação de patentes. É imperativo identificar a anterioridade antes de investir em P&D e continuar a identificar a nova anterioridade depois que a inovação for desenvolvida com sucesso.

Mesmo com ferramentas de busca de PI de primeira linha, é um desafio garantir que a análise de anterioridade seja irrefutável. Trabalhar com especialistas em tecnologia e busca de PI para auxiliar na realização de buscas abrangentes anterioridade economizará tempo e, ao mesmo tempo, garantirá que nenhuma parte da anterioridade seja perdida.

Pense no CAS 
A equipe do CAS é constituída de especialistas experientes em química e biologia, bem como em análise de anterioridade. Centenas de cientistas trabalham diariamente para construir o CAS Content Collection, garantindo que aspectos complexos de documentos de patentes, incluindo substâncias químicas, sequências e estruturas Markush, sejam pesquisáveis e acessíveis com facilidade.

Essa riqueza única de conhecimento sustenta as habilidades do CAS, que nos permitem organizar bancos de dados abrangentes, oferecer ferramentas IP confiáveis, como o CAS STNext, para fazer buscas por conta própria e fornecer suporte confiável de busca sempre que necessário.

Entre em contato conosco para saber mais sobre o CAS STNext ou para organizar uma demonstração das soluções do CAS IP em ação.

 

Navegando por avaliações de patenteabilidade em indústrias científicas

Scientists Working on Computer In Modern Laboratory

As patentes são uma das formas mais importantes de se proteger as inovações. Se você está buscando ou considerando registrar uma patente, há várias coisas que deve ter em mente.

A patenteabilidade das inovações científicas apresenta desafios únicos devido às complexidades da tecnologia, às barreiras a uma pesquisa minuciosa da anterioridade e à natureza em constante mudança de tais indústrias. Este artigo explora os desafios únicos das avaliações de patenteabilidade nas indústrias científicas, oferece as melhores práticas para superá-los e destaca como o CAS pode ajudar.

As inovações científicas são complexas e multifacetadas, ampliando ainda mais o desafio de busca por patentes

Quanto mais complexa for a tecnologia, mais deve ser considerado e questionado ao realizar uma avaliação de patenteabilidade. Informações críticas podem estar escondidas em diversas fontes que vão além das patentes e da típica literatura de não patentes que devem ser exploradas para se obter uma imagem abrangente da anterioridade.

Vejamos as inovações com RNA.

Ao realizar uma avaliação de patenteabilidade, devem ser considerados a entrega por nanopartículas, os ligantes, os conjugados e os tipos de modificações químicas. Não basta fazer uma busca simples de BLAST ou de Motif para encontrar a sequência relacionada. É necessário identificar a tecnologia que evoluiu ao longo do tempo e compreender quem está interessado nela.

As empresas recorrem às soluções do CAS para ajudá-las a identificar a tecnologia que foi publicada, minimizar os riscos, inovar mais rapidamente e evitar o risco que advém de não fazer a devida diligência de forma antecipada e minuciosa.

Fique de olho em possíveis emaranhados de PI

Os emaranhados de propriedade intelectual (PI) referem-se a situações em que os direitos de PI de uma empresa ou a liberdade de operar são restringidos pela PI existente de propriedade de outra parte. Tais emaranhados podem surgir por vários motivos, incluindo convergência tecnológica, acordos de licenciamento cruzado, pesquisa colaborativa e fusões e aquisições. Os emaranhados de PI podem gerar um impacto significativo na patenteabilidade de uma invenção, especialmente em indústrias altamente regulamentadas, como a farmacêutica e a de materiais funcionais. É importante identificar e gerenciar os emaranhados de PI porque eles podem afetar a capacidade de uma empresa de inovar, comercializar e gerar receitas.

Vejamos o Enbrel, um medicamento de grande sucesso para o tratamento da artrite reumatoide. Inicialmente, o medicamento foi desenvolvido pela Immunex Corporation, adquirida posteriormente pela Amgen. Porém, a patente original do Enbrel era de copropriedade da Immunex e da Wyeth Pharmaceuticals, que seria adquirida posteriormente pela Pfizer. Isso levou a uma complexa batalha judicial sobre os direitos de patente do Enbrel, em que tanto a Amgen quanto a Pfizer reivindicavam o direito de propriedade da patente. O caso foi finalmente resolvido em 2017, quando a Amgen venceu e ficou com a propriedade total da patente do Enbrel.

O desenvolvimento de biossimilares acrescenta uma nova camada de complexidade aos emaranhados de PI. A produção de biossimilares exige o uso de linhas celulares e processos de fabricação, que podem estar protegidos por patentes existentes.

Com o cenário de patentes em constante mudança na indústria de biotecnologia, como se manter atualizado?

Novas patentes são depositadas diariamente e o panorama das patentes muda constantemente. Por exemplo, nossos especialistas internos estimam que foram emitidas mais de 10.000 patentes nos últimos 10 anos no cenário de inovação do RNA. Isto cria desafios para os inovadores, à medida que navegar e analisar a complexa documentação e literatura se torna cada vez mais difícil. A questão que angustia muitos do setor, é “Como faço para me manter atualizado?”

O primeiro passo para uma avaliação de patenteabilidade minuciosa e atualizada é investir em uma ferramenta confiável de busca de PI

A ferramenta escolhida deve ser atualizada regularmente com nova literatura de patentes e não patentes. Existem muitas ferramentas de busca no mercado hoje, mas nem todas oferecem os mesmos recursos ou os resultados de qualidade. Algumas das opções de código aberto disponíveis não possuem algoritmos de pesquisa personalizáveis – essenciais para as indústrias científicas – ou não fornecem as informações mais relevantes e mais recentes.

O CAS fornece um conjunto de soluções para ajudar os clientes a entender os possíveis emaranhados de PI em diversas indústrias. Por exemplo, as soluções científicas e técnicas do CAS, como o CAS SciFindern e o CAS STNext, fornecem acesso a uma riqueza de informações sobre patentes, literatura científica e dados regulatórios, que ajudam os clientes a identificar possíveis emaranhados de PI e a navegar em ambientes competitivos complexos.

O CAS IP ServicesSM fornece soluções personalizadas para ajudar os clientes a enfrentarem desafios específicos de PI, como avaliações de liberdade de operação, avaliações de patenteabilidade e análise de portfólio de patentes. Tais serviços aproveitam o profundo conhecimento do CAS na busca e análise de patentes, bem como sua extensa rede de especialistas globais em patentes.

Confira tudo o que o CAS STNext® tem para oferecer!

A eficácia de sua estratégia de busca depende das fontes de dados

A terminologia inconsistente e a indexação incompleta são ameaças à avaliação confiável de patentes para inovações químicas e biotecnológicas. Fórmulas químicas, estruturas, sequências biológicas e modificações podem não ser capturadas, gerando lacunas na sua avaliação. Não existe uma única estratégia de busca que possa ser usada para recuperar de forma eficiente e abrangente informações de diferentes fontes de dados.

Para identificar toda a anterioridade relevante e realizar uma avaliação completa de patenteabilidade, você precisa de uma estratégia e de ferramentas eficazes construídas sobre bancos de dados abrangentes e bem estruturados.

O CAS Content CollectionTM foi construído com esses desafios em mente, para garantir que aspectos complexos de documentos de patentes e literatura de não-patentes, incluindo substâncias químicas, sequências e estruturas Markush, sejam pesquisáveis e acessíveis.

O CAS agrega um valor exclusivo com o CAS STNext, a solução confiável que permite fazer buscas em mais de 130 bancos de dados globais premium em uma única interface.

Vá além da tecnologia e considere também a localização geográfica

É extremamente importante realizar uma busca no escopo geográfico correto. Se você fizer buscas na literatura de uma área geográfica muito ampla, acabará com muitos documentos para examinar. No entanto, se a pesquisa for muito restrita, você deixará de fora documentos e conexões relevantes.

Como decidir o escopo geográfico correto das buscas? Dependendo do tipo de avaliação que você estiver considerando, a área geográfica apropriada poderá ser diferente. Por exemplo:

  • Avaliação de patenteabilidade: o objetivo de uma busca por anterioridade durante uma avaliação de patenteabilidade é encontrar toda a anterioridade relevante existente que possa afetar a originalidade de sua inovação. Se for encontrada alguma informação, ela poderá inviabilizar sua estratégia de P&D. Nos Estados Unidos, é considerada qualquer anterioridade em qualquer lugar do mundo para determinar a patenteabilidade.
  • Busca por Liberdade de operação (FTO): ao analisar as reivindicações das patentes em vigor, sua estratégia de pesquisa pode diferir dependendo do local onde você planeja operar e vender sua inovação. Nossa estratégia de busca por FTO será diferente, dependendo de onde você deseja operar e vender sua invenção. Dependendo de sua estratégia de comercialização, você poderá restringir o escopo da pesquisa para limitar-se a selecionar os principais escritórios de patentes. Para um lançamento global, você precisará ser mais abrangente em seus objetivos de busca.

Resumo

Com cenários de PI em rápida evolução e mudanças nas indústrias científicas, como materiais funcionais e farmacêuticos, é essencial ter ferramentas atualizadas e altamente abrangentes para apoiar as buscas de PI.

O STN IP Protection SuiteTM contém as ferramentas que você precisa para proteger sua PI científica e realizar buscas completas e abrangentes sobre anterioridade e liberdade de operação. Você terá acesso a conteúdo incomparável de fontes de patentes e de não patentes que são agregadas, selecionadas e traduzidas por cientistas. Mitigue riscos e proteja seus ativos de PI com ferramentas de monitoramento e tecnologia especializada para ficar à frente dos concorrentes e proteger suas invenções. E se precisar de suporte adicional, nossos especialistas em PI estão prontos para ajudá-lo e atuar como uma extensão de sua equipe de PI.

 

Entendendo o poder da catálise

Chia-Wei Hsu , Information Scientist | CAS

Industrial aerial view of LNG and Oil/Chemical tankers

A função transformadora dos catalisadores e da catálise

Desde assar um pão até fazer papel, humanos aproveitam, sem saber, o poder da catálise há milhares de anos. Na verdade, quase tudo na nossa vida diária é produzido pelo processo de catálise. Catalisadores são substâncias que facilitam as reações químicas, diminuindo a energia de ativação necessária para que a reação ocorra. Eles aumentam a taxa da reação sem serem consumidos ou alterados permanentemente no processo. Suas propriedades únicas os tornaram indispensáveis numa infinidade de aplicações vitais no mundo real, desde combustíveis e pesticidas até o desenvolvimento de produtos farmacêuticos que salvam vidas.

Por exemplo, uma das mais proeminentes reações aceleradas por catalisadores, o “processo Haber-Bosch”, produz amônia para fertilizantes e para a agricultura em escala industrial. O uso de catalisadores reduz tremendamente o custo e acelera a produção de amônia. Atualmente, o processo Haber-Bosch ainda é o principal método de produção de amônia.

Outro exemplo são os conversores catalíticos para carros que usam platina, paládio ou ródio para reduzir em 90% as emissões de compostos tóxicos como hidrocarbonetos, monóxido de carbono e óxidos de nitrogênio.

A função dos catalisadores na química sustentáveis

Embora a sustentabilidade possa parecer uma palavra que está na moda há pouco tempo, as práticas ambientais sustentáveis permanecem firmes na agenda desde a publicação do “Nosso Futuro Comum” pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1987. Este relatório inovador traçou princípios que orientam o desenvolvimento sustentável como é geralmente entendido hoje. Ele definiu o conceito como o “desenvolvimento que satisfaz as necessidades do presente sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades”. Essa definição resume a importância de implementar a sustentabilidade na fabricação de todos os produtos.

A crescente ênfase na sustentabilidade desencadeou um movimento transformador em direção à química sustentável ou química “verde”, revolucionando como concebemos produtos e processos. Essa abordagem inovadora procura aumentar a eficiência da utilização de recursos naturais na produção química. Três caminhos determinantes têm sido seguidos para atingir esse objetivo: minimizar o consumo de energia, adotar produtos químicos ecológicos e gerir o ciclo de vida dos materiais com eficácia. Com esses métodos, a química sustentável prepara o caminho para um futuro mais verde e que usa os recursos de maneira mais eficiente.

Os catalisadores desempenham um papel fundamental em nossa busca por práticas sustentáveis, oferecendo uma ferramenta valiosa para viabilizar os objetivos. Eles contribuíram para a criação de plásticos biodegradáveis, pois reduzem a nossa dependência de materiais nocivos. Além disso, os catalisadores são fundamentais na produção de combustíveis e fertilizantes, otimizando a eficiência e minimizando o desperdício. Ao aproveitar o poder da catálise, conseguimos alcançar feitos notáveis em vários campos, na medida em que abraçamos a sustentabilidade como princípio orientador.

Com a crescente procura por catalisadores, aumenta a busca por produtos ecológicos para resolver problemas relacionados com a produção de energia sustentável, reduzir as emissões industriais e combater as mudanças climáticas. Usando os dados do CAS Content Collection™, vamos explorar as tendências atuais da pesquisa de catalisadores sustentáveis, destacando os principais avanços nesse campo.

Tornando os catalisadores mais sustentáveis

Metais nobres como platina, paládio e irídio são amplamente utilizados por suas propriedades catalíticas desejadas, tais como alta estabilidade e tolerância à temperatura. Também são usados para acelerar uma ampla gama de reações químicas, dentre elas o Acoplamento Sonogashira, o acoplamento Suzuki-Miyaura e a reação Heck.

No entanto, a utilidade dos metais nobres é dificultada pelo alto custo e disponibilidade limitada. Esses metais preciosos são obtidos principalmente de grandes quantidades de minérios de baixo teor, exigindo extensos esforços de mineração para extrair até mesmo pequenas quantidades. O processo de extração não só exige um consumo significativo de energia, mas também apresenta possíveis danos ambientais. Consequentemente, a utilização de metais nobres em aplicações catalíticas deve ser cuidadosamente ponderada em relação ao impacto ambiental e à sustentabilidade de tais práticas.

As limitações impostas pelos custos econômicos e ambientais dos metais nobres, associadas à crescente procura global por catalisadores, estimularam os pesquisadores a explorar opções alternativas, particularmente metais de transição não nobres como titânio, ferro, cobalto e níquel. Esses metais oferecem diversas vantagens sobre seus nobres correspondentes. Em primeiro lugar, são mais abundantes, garantindo um fornecimento sustentável para aplicações catalíticas. Além disso, os metais de transição não nobres são mais baratos, o que os tornam escolhas viáveis economicamente. Além disso, apresentam baixos níveis de toxicidade, o que reduz possíveis riscos, tanto na produção quanto na aplicação. É importante ressaltar que são metais ambientalmente benignos, minimizando os impactos ecológicos adversos.

Embora os metais não nobres representem uma alternativa promissora, é importante reconhecer que eles apresentam seus próprios desafios. Os metais não nobres são frequentemente mais reativos que os metais nobres; essa reatividade pode levar à degradação dos catalisadores (reduzindo sua durabilidade) e a uma atividade catalítica menos seletiva (podendo levar à formação de subprodutos, geração de resíduos e redução da eficiência do processo). Além disso, a caracterização de metais não nobres pode ser complexa e exigente (Tabela 1).

Propriedades de metais nobres e metais de transição em catálise
Tabela 1 — Propriedades dos metais nobres e metais de transição em catálise 

Mesmo assim, o desenvolvimento de catalisadores sustentáveis com metais não nobres vem ganhando força. Insights do CAS Content Collection revelam um grande aumento nas publicações sobre catalisadores/catálise de metais não nobres entre 2012–2022 (Figura 1).

Tendência geral de publicação de periódicos e patentes sobre catalisadores/catálise de metais não nobres entre 2012–2022
Figura 1 — Tendência geral de publicação de periódicos e patentes sobre catalisadores/catálise de metais não nobres entre 2012–2022

Tecnologias e avanços na catálise

Nas últimas décadas, foi desenvolvida uma série de catalisadores especializados para aplicações essenciais do mundo real. Esses catalisadores se enquadram amplamente em quatro subcategorias: eletrocatalisadores, fotocatalisadores, catalisadores homogêneos e biocatalisadores (ou enzimas).

Volume de publicação de cada subcampo em periódicos e patentes
Figura 2 — Volume de publicação de cada subcampo em periódicos e patentes

Dados do CAS Content Collection mostram que as publicações relacionadas a eletrocatalisadores usando catalisadores de metais não nobres são dominantes na química sustentável (Figura 2 e Figura 3). Os eletrocatalisadores participam de reações eletroquímicas tanto como eletrodos quanto como materiais catalíticos aplicados à superfície dos eletrodos. Tradicionalmente, a platina que tem sido amplamente utilizada em eletrocatálise. No entanto, sua disponibilidade limitada e custo elevado levaram os pesquisadores a explorar alternativas. Um exemplo digno de nota envolve o uso de grafeno dopado com nitrogênio aumentado com átomos de cobalto, que provou ser um catalisador eficiente e durável para gerar hidrogênio a partir da água. Abordagens como esta representam um passo significativo em direção a catalisadores de baixo custo para produção de energia.

Conceitos relacionados a eletrocatalisadores, selecionados pela inteligência humana, em periódicos (parte superior) e patentes (parte inferior)
Figura 3 — Conceitos relacionados a eletrocatalisadores, selecionados pela inteligência humana, em periódicos (parte superior) e patentes (parte inferior)

A fotocatálise é um processo pelo qual materiais semicondutores absorvem energia luminosa e produzem pares de buracos de elétron que acionam reações de redução e oxidação. Isso é importante para resolver problemas energéticos e ambientais em reações, como a divisão da água para produzir hidrogênio e a decomposição de poluentes, respectivamente (Figura 4). No entanto, um grande desafio de pesquisa é encontrar materiais semicondutores de metais não nobres capazes de dividir a água usando apenas energia solar. Diversas estratégias estão sendo exploradas nessa área, inclusive o uso de cocatalisadores ou nanointegração multicomponente .

Os 15 principais conceitos de reação nos quais os fotocatalisadores são aplicados
Figura 4 — Os 15 principais conceitos de reação nos quais os fotocatalisadores são aplicados

Metais nobres como platina e paládio também são predominantes na catálise homogênea devido à sua alta atividade, estabilidade e versatilidade. No entanto, encontrar substitutos para metais nobres em catalisadores homogêneos apresenta um desafio complexo e contínuo para os pesquisadores. Uma reação importante acelerada por esses catalisadores é o acoplamento Sukuzi. Ficaram famosos os relatórios em que os autores alegaram demonstrar o acoplamento Suzuki livre de paládio, que mais tarde soube-se que era catalisado com baixos níveis de contaminantes de paládio. Porém, é promissor o uso de iniciadores de reações radicais como iodo, eosina e iodeto de tetrabutilamônio nessa área. (Figura 5).

As 15 substâncias mais usadas como catalisadores homogêneos
Figura 5 — As 15 substâncias mais usadas como catalisadores homogêneos

Os biocatalisadores, que são catalisadores à base de enzimas, são um excelente exemplo de catalisadores ecológicos e sustentáveis. Produzidos a partir de matérias-primas renováveis disponíveis imediatamente, eles são orgânicos, biodegradáveis, não tóxicos e podem funcionar sob condições de reação moderadas. Uma aplicação em potencial importante dos biocatalisadores é a geração sustentável de biocombustíveis a partir de óleos e gorduras vegetais pela transesterificação de ácidos graxos com metanol. A reação produz biodiesel (ésteres metílicos de ácidos graxos) e glicerol como subproduto (Figura 6). A combinação de biocatalisadores e catalisadores metálicos também é uma abordagem emergente para alcançar a sustentabilidade da produção de moléculas valiosas.

Produção de biodiesel por transesterificação enzimática
Figure 6 — Produção de biodiesel por transesterificação enzimática

Um catalisador para a mudança

Na sequência da Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP27) e da Conferência das Nações Unidas sobre Biodiversidade (COP15), houve um aumento notável nos compromissos empresariais na adoção de práticas mais sustentáveis. Como os catalisadores continuam indispensáveis na indústria química, há um ímpeto crescente para explorar novos conceitos catalíticos que aumentem a eficiência e a sustentabilidade da fabricação de produtos essenciais. Como reconhecimento dessa necessidade, o Departamento de Energia dos EUA assumiu um compromisso específico de apoiar a pesquisa de catalisadores essenciais.

Os avanços significativos na pesquisa de catalisadores sustentáveis na última década significam que a procura por soluções ambientalmente corretas está bem encaminhada. Embora todo o potencial deste mercado ainda não tenha sido concretizado, prevemos um futuro promissor para catalisadores à base de metais não nobres em diversos domínios que abrangem substâncias orgânicas, inorgânicas e biológicas.

Para obter mais informações sobre o futuro da catálise sustentável, convidamos você a explorar nossa recente publicação na ChemRxV.

 

Gerenciamento de dados na indústria farmacêutica: Revelando avanços que permanecem na escuridão

Jennifer Sexton , Director/CAS Custom Services

Abstract circular data tunnel

Rico em dados, pobre em informações: a maldição reversível da indústria farmacêutica

A indústria farmacêutica gera e retém abundante informação científica e empresarial, de estudos pré-clínicos a vendas. No entanto, estes documentos são normalmente mantidos em fontes isoladas e conduzem a despesas anuais substanciais de armazenamento, abrangendo cerca de 52% do orçamento de armazenamento de uma empresa.

Sem ter ciência dos dados obscuros ou de como maximizar seu potencial, as empresas inevitavelmente caem na situação “rica em dados, pobre em informações” ou “DRIP”. Este conceito descreve organizações com quantidades significativas de dados, mas sem processos para produzir informações valiosas e obter vantagem competitiva.

Graças ao aumento da digitalização, as empresas podem implementar ferramentas organizacionais avançadas que as ajudem a parar de gerar dados obscuros e a transformar eficazmente a informação atualmente latente em insights baseados em evidências. No entanto, limpar, organizar e explorar dados massivos pode ser uma tarefa árdua. O envolvimento com um especialista externo em dados oferece uma abordagem personalizada e passo a passo para empresas farmacêuticas prontas para avançar um nível em seu sistema de gestão de conhecimento.

Digitalizar e harmonizar: estruturando o caos dos dados obscuros

As empresas farmacêuticas podem recuperar e utilizar dados obscuros para direcionar investimentos em P&D, otimizar formulações, identificar gargalos de produção e avaliar sistemas e controles de qualidade. No entanto, o artigo da Nature, “Scientists losing data at a rapid rate”, estimou que cerca de 80% dos dados científicos ficam indisponíveis em 20 anos ou menos, tornando perigosa a recuperação adequada da informação.

Acumulando-se em pastas, gavetas e plataformas virtuais inseguras, os dados obscuros estar em múltiplos formatos, que muitas vezes estão desconectados. Com o passar dos anos a evolução das equipas, o conhecimento de uma empresa pode rapidamente tornar-se disperso e difícil de ser recuperado. Ao digitalizar documentos legados e coletar todas as informações em uma única plataforma de gestão do conhecimento, você vai aumentar a eficiência da recuperação de dados, reduzir a alocação de recursos para tarefas de gerenciamento de dados e melhorar o compartilhamento de experiências internamente na organização.

Um benefício claro é demonstrado pelo lançamento da Pistoia Alliance Chemical Safety Library, que facilita o compartilhamento de informações entre cientistas para melhorar a segurança em laboratórios.

A experiência ajuda a digitalizar e harmonizar os dados
Transformar dados latentes em ativos pesquisáveis e exploráveis requer experiência para realizar a digitalização adequada de documentos, verificações de qualidade confiáveis e integração segura ao ecossistema da sua empresa. Um bom parceiro externo, que entende e domina cada componente, ajuda a criar uma coleta de dados exclusiva e adaptada às suas necessidades.

Do desenvolvimento descontinuado de medicamentos aos sucessos de mercado, o passado da sua empresa está repleto de lições valiosas. Ao estruturar e harmonizar os dados obscuros, um parceiro de dados ajudará você a transformar informações latentes em insights baseados em evidências, com oportunidades infinitas de inovação.

Benefícios de uma parceria para o gerenciamento de dados:

  • Documentos físicos digitalizados corretamente, incluindo artigos científicos, relatórios, diários de laboratório, imagens e vídeos em formatos digitais.
  • Conteúdo digital harmonizado com terminologias, abreviações e formatos consistentes.
  • Integridade, precisão e qualidade confirmadas dos dados, que garantem bases sólidas para sua plataforma de gestão do conhecimento.
  • Ferramentas de busca personalizadas para melhorar a acessibilidade e recuperação de dados.
  • Manutenção e gerenciamento de dados de longo prazo garantidos pela implementação de estratégias de aquisição sob medida.

Analisar e otimizar: encontrando padrões e oportunidades nos dados

Tirar o pó dos dados obscuros e estruturar a plataforma de gestão de conhecimento podem ampliar muito o valor de sua empresa. Ao analisar imensos conjuntos de dados, as empresas identificam tendências despercebidas anteriormente. A descoberta de padrões em P&Ds, dados de formulação ou métodos de fabricação anteriores pode economizar um tempo significativo, melhorar processos em toda a cadeia de valor e apoiar decisões críticas de negócios.

Um esforço de transformação digital da Mana.bio destaca como as empresas farmacêuticas podem otimizar o sucesso das plataformas, bancos de dados e fluxos de trabalho internos e exclusivos pela integração de dados e tecnologia com curadoria de qualidade. Com esta iniciativa, a Mana.bio atualizou a sua base de dados proprietária para alimentar o seu motor de IA de administração de medicamentos, com uma redução esperada de 70% nos recursos atribuídos à aquisição e preparação de dados de moléculas.

Com o aumento da precisão e valor de sua plataforma de gestão do conhecimento, sua equipe identificará tendências com confiança e começará a trabalhar rumo à próxima descoberta. Descobrir padrões torna-se mais fácil, rápido e gratificante.

Como um parceiro externo pode ajudar uma empresa farmacêutica a aperfeiçoar a análise de dados e a geração de insights
Um parceiro externo especialista na concepção de plataformas de dados abrangentes e totalmente funcionais que oferece às empresas uma visão completa do cenário de seus dados. A colaboração com um especialista em dados, permite às empresas farmacêuticas:

  • Estabelecer uma base de dados para análises e insights com estruturas sólidas e integridade de dados.
  • Identificar lacunas de conhecimento e projetar oportunidades para eliminá-las.
  • Obter suporte para visualização e análises de dados para descobrir padrões e tendências.
  • Expandir e complementar seus dados interno com conteúdo adicional.

Conectar e inovar: fornecendo as informações certas às pessoas certas

As empresas farmacêuticas reúnem muitos indivíduos brilhantes e com conhecimento profundo, dedicados a revolucionar a saúde. No entanto, a comunicação entre os especialistas da empresa é muitas vezes desarticulada, o que compromete oportunidades de crescimento e afeta o progresso da inovação. Na era da digitalização, relatórios mostram que as empresas poderiam aumentar a produtividade dos funcionários de 20 a 25% usando tecnologias sociais como gerenciamento de dados.

De P&D, operações e gestão de qualidade a TI, marketing e finanças, os departamentos devem trabalhar lado a lado para fornecer aos pacientes os melhores produtos farmacêuticos. Com um sistema de gestão do conhecimento disponível em toda a empresa, você pode fornecer às equipes um espaço de trabalho seguro para compartilhar dados, experiências anteriores e práticas recomendadas com eficiência.

Uma plataforma na nuvem leva a colaboração em tempo real para um novo patamar, ao permitir que pesquisadores, engenheiros e especialistas técnicos pesquisem e recuperem informações rapidamente, proporcionando às equipes acessibilidade aos dados e o ambiente colaborativo de que precisam para tomar decisões que influenciam os negócios de maneira mais veloz.

Como um parceiro externo pode ajudar uma empresa farmacêutica a se conectar e inovar
Ao fazer parceria com um especialista em sistemas de gestão do conhecimento de alto nível, as líderes farmacêuticas poderão:

  • Criar uma plataforma de gestão do conhecimento compartilhada na nuvem que abrange toda a empresa e ideal para todas as equipes.
  • Garantir a segurança de dados e minimizar violações ao aplicar o controle de acesso de usuários e limitar o uso de softwares de terceiros.
  • Facilitar trocas protegidas de informações confidenciais ou sensíveis via canais seguros.
  • Promover brainstorming e colaboração interdisciplinares para multiplicar visões de vanguarda e acelerar a inovação.

Gestão do conhecimento e dados obscuros: essenciais para os inovadores da indústria farmacêutica

Apesar de há muito tempo na indústria farmacêutica ser considerado “bom de se ter”, um sistema de gestão do conhecimento robusto e seguro representa agora um terreno fértil essencial para um trabalho inovador e colaborativo. Estruturados e harmonizados em uma interface que abrange toda a empresa, os dados obscuros, antes não utilizáveis, são rapidamente transformados em informações valiosas para as indústrias em busca de oportunidades de crescimento.

À medida que a digitalização continua a ganhar terreno, torna-se necessário aproveitar dados obscuros e ferramentas cognitivas na indústria farmacêutica para permanecer no topo da inovação no desenvolvimento de medicamentos.

Para saber mais sobre transformação digital e gerenciamento de dados, confira nossos estudos de caso com o CAS Custom Services.

Marte está chamando, mas como alimentar a Artemis durante a jornada?

Gilles Georges , formerly served as Vice President and Chief Scientific Officer at CAS

Successful rocket take off into the starry sky with the milky way

Uma das demonstrações mais marcantes do poder da química é a exploração espacial. Desde as primeiras missões não tripuladas, no final da década de 1950, até o programa do ônibus espacial e agora a Artemis, as inovações nas tecnologias de combustíveis e motores de foguetes continuam ampliando o alcance, a capacidade e a sustentabilidade da exploração espacial, uma demonstração em tempo real de como a química alimenta este campo.

Combustível otimizado para foguetes é fundamental para o sucesso da missão

Os foguetes dependem de várias combinações de combustível e oxidantes para gerar a tremenda energia necessária para superar a gravidade da Terra. Os oxidantes e os combustíveis são elementos estáveis em temperatura ambiente, mas, quando misturados e acionados por uma fonte de calor, criam uma reação explosiva que fornece empuxo para o foguete.

O ajuste da proporção entre combustível e oxidante permite aos engenheiros controlarem vários aspectos do desempenho do foguete. Cada combinação fornece um conjunto único de características, benefícios e inconvenientes, impactando medidas de desempenho como eficiência de empuxo, além de outras ponderações como toxicidade, custo e segurança. Assim, escolher o melhor pacote de propelente para cada viagem é uma decisão crítica que depende de muitas variáveis relacionadas à missão do foguete.

Os propelentes gasosos, por exemplo, são impraticáveis para a maioria dos foguetes de longa distância devido ao grande volume que seria necessário, mas a compressão e o resfriamento dessas substâncias na fase líquida correspondente fornecem uma relação volume-potência ideal para aplicações em foguetes de grande alcance. Alguns propelentes, no entanto, têm pontos de ebulição extremamente baixos e requerem resfriamento criogênico em temperaturas abaixo de –150 °C (–238 °F) para se liquefazerem. Isso pode ser uma desvantagem significativa no uso destes combustíveis para propulsão de foguetes, portanto, os benefícios devem superar os custos e desafios deste requisito de uma missão específica para justificar a sua escolha.

Duas importantes características de desempenho dos propelentes, que às vezes são confundidas, são o empuxo e o impulso específico. O empuxo mede o potencial da força de reação do propelente ou a quantidade de peso que o foguete conseguirá levantar. O impulso específico (Isp) define a eficiência com que um propelente pode converter sua massa em empuxo, com base no tempo que uma determinada quantidade de propelente pode empurrar uma carga. Os motores que usam propelentes com impulso específico alto tendem a ter menor empuxo, mas usam a massa do propelente de maneira mais eficiente. Em suma, consomem menos combustível.

A Tabela 1 compara as principais propriedades dos pacotes comuns de combustível para foguetes. O motor RS-25 empregado pelo foguete Artemis Space Launch System (SLS) da NASA usa o pacote de propelente LOX/LH2. No entanto, os foguetes que estão em desenvolvimento por algumas organizações comerciais, inclusive o Raptor da SpaceX e o BE-4 da Blue Origin, são movidos pelo pacote Metano Líquido/LOX.

Entre os propelentes de foguetes modernos, o LOX/LH2 apresenta o maior valor de Isp. Essa eficiência e um histórico de confiabilidade são as principais razões pelas quais o pacote LOX/LH2 é o propelente de foguete mais usado nas últimas cinco décadas, apesar de ambos os átomos exigirem resfriamento criogênico. Além disso, embora outros propelentes liberem grandes quantidades de produtos químicos poluentes e gases de efeito estufa após a combustão, o principal subproduto produzido pela combustão do LOX/LH2 é a água, tornando-o um combustível mais sustentável.  

Oxigênio líquido LOX/propelente de combustível
Tabela 1.
Pacotes de propelente: propriedades do LOX e diversos combustíveis." data-entity-type="file" data-entity-uuid="428f0733-8e9d-437e-93c9-c99bdd862b30" src="/sites/default/files/inline-images/Table1_FINAL_rocket%20fuel.JPG" />

Observação *RP-1 (Propelente de foguete-1) é uma forma altamente refinada de querosene e é amplamente utilizada em motores de foguetes líquidos (ou seja, o motor de foguete Saturn V).

Química de reação radical de foguetes LOX/LH2

O hidrogênio e o oxigênio são elementos estáveis que não reagem espontaneamente quando misturados em temperatura ambiente. Para que uma reação ocorra, as ligações covalentes H–H e O=O precisam ser quebradas. Quando é fornecida energia suficiente para superar a energia de ligação H–H e O=O, ocorrerá uma reação em cadeia até que a água seja formada. Esta reação em direção à estrutura estável da água libera grandes quantidades de energia durante a combustão de H2 com O2.

Figure1_rocket_fuel_SS
Figura 1
. Principais reações radicais envolvidas na combustão de H2 em O2. " data-entity-type="file" data-entity-uuid="81adfa68-6a83-458f-9726-e303361dd3cb" src="/sites/default/files/inline-images/Figure1_rocket_fuel_SS.JPG" />

Apesar da aparente simplicidade desta reação, a combustão de H2 com O2 é complexa e envolve diversas reações intermediárias com radicais H e O. As principais reações que levam à formação de água estão listadas na Figura 1. As reações de ramificação de cadeia ocorrem quando um radical gera dois ou mais radicais (Figura 1, reações 3 e 4). Como estas reações produzem mais radicais reativos que consomem, elas aceleram, explicando a natureza explosiva da reação.

Essas reações radicais nem sempre acontecem na ordem exata apresentada na Figura 1, e outros radicais não mencionados aqui podem ser formados através de outros esquemas de reação em cadeia. A mistura do propelente, a pressão e a temperatura também influenciam os mecanismos cinéticos de combustão do H2.

Avanços no design do motor para alimentar a Artemis

Além da otimização do combustível, o projeto do motor é igualmente crítico para maximizar a potência dos foguetes modernos. Os projetos atuais de motores de foguete aproveitam inovações fundamentais desenvolvidas durante o programa de foguetes V-2 da Alemanha na Segunda Guerra Mundial. A disponibilidade de novos materiais e outras inovações tecnológicas permitiram que os engenheiros aperfeiçoassem nestes projetos para aumentar a potência, a durabilidade, a confiabilidade e a eficiência necessárias para alimentar as missões espaciais modernas.

Projetado na década de 1970 pela Aerojet Rocketdyne, o motor RS-25 foi originalmente desenvolvido e usado nas missões do ônibus espacial da NASA. Depois de cinco gerações de inovação, os RS-25 que alimentam o foguete SLS da Artemis são motores criogênicos sofisticados que incorporam décadas de avanços tecnológicos e otimizações de design, que os tornaram alguns dos motores de foguete mais eficientes e potentes já produzidos.

Para criar um empuxo poderoso e consistente, os motores de foguete precisam ser alimentados com um grande volume de propulsor líquido de alta velocidade pela turbobomba. A primeira versão da turbobomba (Figura 2) foi desenvolvida pelos engenheiros do V-2 na década de 1940. Foi revolucionária no design e no desempenho, com uma turbina a vapor girando a 4.000 rpm para acionar bombas centrífugas tanto para o combustível quanto para o oxidante. Mais de 60 anos depois, a turbobomba moderna ainda é um dos componentes mais críticos e complexos, responsável pelo desempenho dos motores de foguete modernos.

Evolução da propulsão de foguetes tripulados nos EUA

Figure2_rocket_SS_0
Figura 2. Seção transversal de uma turbobomba do V-2 fornecida por
Enginehistory.org. " data-entity-type="file" data-entity-uuid="eae9ddc9-afb9-4e24-86fc-f4360b919415" src="/sites/default/files/inline-images/Figure2_rocket_SS_0.JPG" />

 

Os motores RS-25 do foguete Artemis utilizam o pacote de propelente criogênico LOX/LH2 com base no impulso específico superior. No entanto, uma diferença significativa entre as taxas de densidade e vazão do LH2 e do LOX impede que o RS-25 opere com uma única turbobomba. A densidade do hidrogénio é extremamente baixa (71 g/L), o que significa que será necessário 2,7 vezes mais LH2 para corresponder proporcionalmente à quantidade de LOX para ocorrer uma combustão eficiente. Para acomodar esses líquidos criogênicos muito diferentes e suas propriedades físicas, o RS-25 utiliza duas turbobombas separadas.

Essas modernas turbobombas de alta pressão são proezas da engenharia. Suas turbinas contêm dezenas de pás que têm apenas o tamanho de uma moeda de um quarto de dólar. Girando entre 28.000 e 35.000 rpm, cada pá fornece mais potência que um motor de Corvette, permitindo que essas turbobombas gerem dezenas de milhares de cavalos de potência.

Aspirações espaciais que impulsionam a inovação em todos os setores

As tecnologias de combustível e motores de foguetes são áreas óbvias de inovação impulsionadas pelo programa espacial. No entanto, o foco atual na volta dos humanos à Lua e, por fim, na chegada a Marte também serve como catalisador para acelerar novas pesquisas em uma vasta gama de indústrias, inclusive na medicina, ciência dos materiais, comunicações, eletrônicos e até a agricultura. Muitas dessas inovações, além de viabilizarem missões espaciais, geram melhorias em produtos que beneficiam também a todos nós aqui na Terra.

Interessado em outras inovações tecnológicas que estão em desenvolvimento para a missão Artemis? Leia mais sobre inovações na ciência dos alimentos que nutrirão os astronautas que vão para a Lua e além.

A transformação digital na indústria farmacêutica: melhorar a P&D com soluções digitais

Jennifer Sexton , Director/CAS Custom Services

Futuristic Technology Background. Outer Space, Alien Technology And Spaceship Concept

Maximizar o ROI da digitalização: um desafio para as empresas farmacêuticas

Em média, as empresas farmacêuticas levam de 10 a 15 anos para desenvolver, validar e comercializar um produto novo. No entanto, a recente pandemia de COVID-19 e o desenvolvimento bem-sucedido e veloz de uma vacina de mRNA revelaram o potencial das ferramentas digitais para acelerar processos. Esse grande evento aprofundou o interesse da indústria farmacêutica de enfrentar a transformação digital e implementar ferramentas cognitivas nos seus processos. Porém, a digitalização é um processo complicado e difícil de ser realizado com sucesso.

Cerca de 55% das empresas farmacêuticas afirmam usar as tecnologias digitais até certo ponto. No entanto, a falta de conhecimento especializado em gestão do conhecimento e de experiência com ferramentas digitais muitas vezes transforma uma iniciativa inteligente num investimento questionável. Como cerca de 70% dos programas de digitalização falham, as empresas farmacêuticas precisam reavaliar onde investir os recursos para a digitalização e otimizar suas estratégias de implementação para obter vantagens competitivas e gerar produtos farmacêuticos que transformam vidas.

Com uma compreensão profunda e robusta da gestão do conhecimento, das ferramentas cognitivas e de como elas se interligam, as empresas farmacêuticas poderão revolucionar seus processos em todos os níveis e promover uma melhora nos serviços de saúde globais.

Digitalização e gestão do conhecimento: facilitando o acesso aos dados em toda a empresa para acelerar a inovação

As empresas farmacêuticas geram volumes enormes de informações, desde informações sobre ingredientes, formulações e dados de ensaios clínicos a relatórios de tempo de processamento, produção e controle de qualidade. Esses novos documentos se acumulam rapidamente ao usar fontes de informações legadas existentes e bancos de dados isolados, tornando a busca e a recuperação um desafio. Não estruturados e não harmonizados, os resultados de experiências anteriores se perdem no mundo dos “dados obscuros”, representando cerca de 55% de todo o conhecimento da organização.

Sem acesso fácil aos dados históricos entre departamentos, as empresas farmacêuticas provavelmente repetirão erros anteriores ou investigarão questões que já foram respondidas. A digitalização é fundamental para acelerar a inovação e reduzir significativamente o tempo de lançamento do produto no mercado.

As empresas farmacêuticas estão transformando documentos históricos, como diários, conjuntos de dados e relatórios de laboratório em ativos pesquisáveis, inseridos em uma plataforma de gestão de conhecimento conectada. Isso permite que pessoas da organização toda acessem informações sobre ingredientes, detalhes de fornecedores, diretrizes regulatórias e outras informações científicas e comerciais. Essas empresas estão dando um passo à frente ao introduzir uma interface de usuário online para conectar equipes em diferentes departamentos e regiões.

Com uma digitalização cuidadosa, as empresas farmacêuticas vão facilitar, agilizar e expandir ainda mais a P&D, a produção e a comercialização, e, simultaneamente, promover o trabalho interdisciplinar e a colaboração internacional.

Simplificando o desenvolvimento de medicamentos: acelerando a inovação de terapias com ferramentas cognitivas

A era da digitalização está transformando a indústria farmacêutica, ao fornecer aos pesquisadores ferramentas revolucionárias para melhorar o tempo de lançamento no mercado e aumentar a segurança.

O desenvolvimento de vacinas contra a COVID-19 em menos de um ano tornou a Pfizer o centro das atenções da indústria farmacêutica. Ainda que a eficiência da força de trabalho da Pfizer seja indiscutível, o tempo de resposta sem precedentes e a vantagem competitiva da empresa estão fundamentados em pipelines bem-estabelecidos, implementados muito antes da pandemia. Uma pioneira em estratégias digitais, a Pfizer compreendeu o potencial transformador da gestão do conhecimento, da análise de dados e das iniciativas de IA para o setor farmacêutico e incorporou-as em suas operações diárias.

Com décadas de experiência e dados de pesquisa disponíveis, as gigantes farmacêuticas podem restringir os principais candidatos às melhores e mais seguras opções. Por exemplo, algoritmos baseados em IA combinados com dados clínicos anteriores permitiram aos pesquisadores conceber e supervisionar extensos ensaios clínicos com modelos preditivos em tempo real das taxas de ataque da COVID-19. Expandindo os limites para além das portas do laboratório, as estratégias de gestão do conhecimento e os modelos de IA permitiram realizar a previsão de inventário e o monitoramento da cadeia de suprimentos, agilizando o desenvolvimento, a distribuição e a acessibilidade das vacinas.

Bases de dados robustas e ferramentas cognitivas implementadas em toda a cadeia de valor deram à Pfizer uma vantagem definitiva na corrida pelas vacinas contra a COVID-19. Da seleção inicial de candidatos a medicamentos ao monitoramento do tratamento, ficou comprovado o poder das ferramentas cognitivas na aceleração do desenvolvimento de medicamentos. No entanto, as previsões de IA só atingem todas as suas capacidades se forem devidamente treinadas com conjuntos de dados limpos, tratados e protegidos. Para lançar ou otimizar a IA em fluxos de trabalho de P&D da indústria farmacêutica, você deve primeiro avaliar a qualidade dos dados e da infraestrutura de gestão do conhecimento.

Digitalização e segurança de dados: proteção de informações proprietárias, privacidade do paciente e integridade da pesquisa

Por meio de extensas fases de descoberta de medicamentos e ensaios clínicos, a indústria farmacêutica tem acesso a processos críticos de fabricação e informações sobre a saúde dos pacientes. São dados preciosos para concorrentes e pessoas mal-intencionadas. Com o crescimento dos ataques cibernéticos (quase 1 a cada 39 segundos) e do roubo de identidade médica (35% em 2019), a implementação de estratégias de segurança robustas na indústria farmacêutica é agora uma questão urgente.

Os relatórios definem as empresas farmacêuticas como os principais alvos dos ciberataques, com 53% das violações de privacidade resultantes de atividades maliciosas. As informações confidenciais espalhadas por diferentes departamentos, plataformas e software tornam um desafio para as empresas garantir a proteção de dados e um ambiente seguro. A implementação de uma interface de gestão do conhecimento completa permite à organização impor um controle rígido de acesso do usuário e, ao mesmo tempo, eliminar violações de dados. Plataformas colaborativas em nuvem com canais seguros onde pesquisadores e médicos possam compartilhar informações sensíveis com segurança e evitar riscos de corrupção de dispositivos se tornaram mais comuns na indústria farmacêutica. No entanto, a transição de soluções legadas locais e isoladas para plataformas em nuvem ou versões híbridas personalizadas é complexa e de adoção lenta. Para agilizar a transição para ecossistemas atualizados de gestão do conhecimento e salvaguardar os dados, as empresas farmacêuticas devem procurar parceiros de transformação digital com conhecimento na área.

A transformação digital na indústria farmacêutica

A digitalização tem o potencial de transformar drasticamente a indústria farmacêutica, permitindo uma melhor gestão do conhecimento, uma inovação acelerada e uma maior segurança dos dados e, simultaneamente, reduzir o tempo de lançamento dos medicamentos no mercado. No entanto, uma estratégia de transformação digital mal concebida pode gerar desperdício de recursos e aumentar os riscos.

À medida que continua a evolução da transformação digital da indústria farmacêutica, as tecnologias digitais e ferramentas cognitivas estão ocupando todos os aspectos da indústria, ao permitir um desenvolvimento mais rápido de medicamentos e opções de tratamento ampliadas para um número crescente de doenças. A transformação digital está empenhada em levar soluções inovadoras de saúde de forma sustentável, responsável e acessível.

Para saber mais sobre transformação digital e gerenciamento de dados, confira nossos estudos de caso com o CAS Custom ServicesSM.

Inscrever-se em